Blog em Linha Reta

Onde é que há gente no mundo?

Sinapses

O contato com o externo é, muitas vezes, apenas surpreendente para mim na constatação de que o experienciado é tão somente uma externalidade do que eu já sabia. Ambos diferem no mesmo tom que difere o pensamento à fala: o primeiro é essencial e o segundo comercial, e a embalagem a que vem este é exatamente a que faltava ao que já era sabido. Nas muitas preguiças comigo mesmo, deixo-me de embalar algumas idéias e estas não mais são efetivadas como propriedades minhas nessa caótica feira ideológica.

(O vendedor de peixes competia com o verdureiro a conquistar mais clientes atacando-lhes gritos aparentemente simpáticos. Por conseguirem acalentar os mais incautos, os surdos e os carentes — e nesta feira são muitos desses tipos —, o restante dos comerciantes ali — por pertencerem a algum desses tipos? — seguiam o mesmo comportamento a ver se aumentavam o seu rebanho também. Em momentos de muita movimentação, a poluição sonora é a única coisa audível ali.)

Não podendo ouvir de mim as idéias que tenho dito secretamente, é como se eu soubesse mas não soubesse que sabia.