Blog em Linha Reta

Onde é que há gente no mundo?

Uma Odisséia

O pensamento, viscoso, foi escorregando de dentro da torneira da cabeça, preenchendo os vazios do crânio árido, transbordando pelos poros aguçados, lambendo a pele da face, queimando-a ao roubar-lhe o calor, e enrubesceu. Desceu a espinha em efeito dominó e no caminho derrubou a moral, a decência e a razão. Insaciável, numa vertigem só invadiu as costas, rodou no estômago, subiu na garganta, desceu em queda livre, tornou subir ao coração, agitou, não saciou, possuiu a alma. Embora pudesse ter o controle total, o pensamento pensou, hesitou, questionou, não solucionou. Sem conseguir saber, causou agressividade, tornou a correr, chegou às pernas, fê-las mover, passando aos braços, roubou-lhes a paz, correu, chegou aos olhos, indignou-se, chegou às mãos, estarreceu-se, foi à barriga, apavorou-se, voltou-se à boca, tornou-se desejo e fê-la encontrar-se com a sua.