Blog em Linha Reta

Onde é que há gente no mundo?

Sinapse

Do lado de fora da barraquinha de refrigerantes, o sol brilhava sobre uma multidão alegre. Brilhava sobre chapéus brancos e rostos rosados. Brilhava sobre picolés, derretendo-os. Brilhava sobre as lágrimas das criancinhas cujos picolés derretiam e caíam sobre o chão.

A Vida, o Universo e Tudo Mais, Douglas Adams

É claro que achei engraçado ao ler esse trecho, e parei para pensar. Nem é pelas criancinhas, eu não ligo. Sei também que uma forma de ser engraçado é fazer piada de si mesmo. Mas nesse caso é a humanidade toda e como vivemos, então criar humor a partir disso é confirmar o alvo da gracinha. É mais ou menos assim: “olha esses humanos, que vida sem noção eles levam, quanta limitação, falta de visão e de futuro. E pra provar sua miséria, se divertem fazendo piadinhas de si mesmos.”

Depois de pensar nisso eu estou mais afeiçoado às criancinhas.