Blog em Linha Reta

Onde é que há gente no mundo?

Fim de noite

A praça da Figueira de manhã,
Quando o dia é de sol (como acontece
Sempre em Lisboa), nunca em mim esquece,
Embora seja uma memória vã.

Há tanta coisa mais interessante
Que aquele lugar lógico e plebeu,
Mas amo aquilo, mesmo aqui … Sei eu
Por que o amo? Não importa. Adiante …

Isto de sensações só vale a pena
Se a gente se não põe a olhar para elas.
Nenhuma delas em mim serena…

De resto, nada em mim é certo e está
De acordo comigo próprio. As horas belas
São as dos outros ou as que não há.

Álvaro de Campos

e essa tristeza das coisas que vão sendo deixadas para depois
vão sendo arrastadas até que se desgastam o suficiente pra serem insignificantes
eram importantes antes?
o garçon recolhe todos os copos na velocidade com que me esqueço que estava pensando nas coisas que deixei pra pensar depois
era hora de arriscar pra não se arrepender de não ter tentado?
e recalcular tudo pra que sirva de pretexto pra adiar novamente
e deixar de tentar, não é assumir um risco também?
um telefone toca mas é no filme desinteressante que passa na tv
sou como o filme, e não tenho história pra contar