Blog em Linha Reta

Onde é que há gente no mundo?

Tudo que possuo é a madrugada

O tempo
tem
dono.

O tempo
tem
sono.

O tempo
faz
temporal

Na madrugada.

E a hora
já passada,
de tanto
passar
passou
da medida.

O tempo
não tem
saída.

Ana Peluso em Tempo

O tempo adormece na madrugada.

Não sei se é a madrugada lá fora ou a que carrego dentro de mim.

Não as vejo e as sinto do mesmo jeito.
Não sei se é mesmo que doem ou se é o constante ruído da civilização,
Que em mim não sou eu e fora só faz lembrar-me disso.
Tampouco creio que a noite seja tua ausência em mim,
Pois nem ao menos sei quem és.

(Talvez porque tivesse entendido o contrário
E afinal tu sejas apenas escuridão, negações e incertezas.
Confundo o vento que sopra com tua voz
Mas nele só ouço meu desejo de ouvir.)

Pouco diferem as estrelas lá fora das que tenho comigo —
No céu brilham infinitas e inalcançáveis,
Em mim infinitas estendo-as a ti.

Tudo que possuo é a madrugada.

Não sei se é a madrugada lá fora ou a que carrego dentro de mim.